O líder da gangue brasileira, cuja tentativa de escapar da prisão vestido de filha fez manchetes globais, foi encontrado morto em sua cela no Rio de Janeiro.

O serviço da prisão estadual, Seap, disse que os policiais encontraram o corpo de Clauvino da Silva, 42 anos, na manhã de terça-feira no complexo prisional de alta segurança que ele tentou fugir. Acrescentou que ele parecia ter tirado a própria vida.

Silva, um membro da facção do Comando Vermelho, cumpria uma sentença de quase 73 anos quando tentou fugir no sábado com a ajuda de uma máscara de silicone, um sutiã preto e uma peruca e uma camiseta estampada. com três rosquinhas rosa.

O gângster, conhecido por seu apelido Baixinho, aparentemente esperava enganar os oficiais da prisão para pensar que ele era sua filha de 19 anos, que estava visitando.

Mas autoridades suspeitas pararam Silva quando ele tentou deixar o complexo e exigiu que ele se despisse diante de suas câmeras. Esse vídeo se tornou viral no Brasil e em todo o mundo e Silva foi colocado em confinamento solitário como punição.

Autoridades haviam celebrado a defesa do crime, distribuindo fotografias e vídeos de seu disfarce incomum na mídia.

Mas a morte de Silva representa a segunda grande humilhação para o sistema de prisões notoriamente superlotado do Brasil em apenas uma semana. No final de julho, 58 prisioneiros foram mortos – 16 deles decapitados – durante uma erupção de violência de gangues no estado do Pará.

Dois dias após o banho de sangue – um dos piores do Brasil desde que 111 pessoas morreram durante o notório massacre de 1992 no Carandiru – outros quatro prisioneiros morreram quando foram transferidos para outra unidade prisional.

Segundo relatos na mídia, metade deles ainda não foram julgados.

Foinse: Oglobo| Guardian

Fógraí

Fág nóta tráchta:

Úsáideann an suíomh seo Akismet chun spam a laghdú. Foghlaim conas a phróiseáiltear do chuid sonraí aiseolais.