A China permitirá a importação de ração animal de soja da Argentina pela primeira vez sob um acordo anunciado por Buenos Aires na terça-feira, um acordo que ligará o maior exportador mundial de ração ao maior consumidor global.

O acordo será assinado por autoridades argentinas e chinesas em Buenos Aires na quarta-feira, informou o Ministério da Agricultura da Argentina em comunicado. No mês passado, autoridades chinesas inspecionaram as fábricas de farinha de soja argentinas antes da assinatura do pacto.

A Argentina tentou, durante anos, entrar no mercado chinês, o maior consumidor da refeição que utiliza para alimentar seu enorme rebanho de suínos. A China, com sua própria indústria de britagem para proteger, resistiu firmemente.

A guerra comercial EUA-China, no entanto, fortaleceu a mão da Argentina, levando a China a expandir suas opções de importação de farinha de soja, disseram fontes do mercado.

“Este é um acordo histórico”, disse à Reuters Gustavo Idigoras, presidente da câmara de empresas exportadoras de grãos CIARA-CEC da Argentina, embora tenha acrescentado que o acordo ainda exige um processo de duas etapas de autorizações de plantas e, em seguida, registros que podem levar vários meses.

“As remessas não devem começar imediatamente.”

A Argentina, maior exportadora global de soja processada, espera exportar um total de 26 milhões de toneladas de farinha de soja este ano para o mundo todo e 8,5 milhões de toneladas de feijão cru.

Foinse: Reuters

San alt seo

Bí ar an Comhrá

Úsáideann an suíomh seo Akismet chun spam a laghdú. Foghlaim conas a phróiseáiltear do chuid sonraí aiseolais.